.

domingo, 18 de outubro de 2009

Paris

Depois de um ano morando na França, nós ainda não tínhamos visitado Paris. Uma promoção da SNCF, a Sociedade Nacional de Caminhos de Ferro, e um pouco de boa vontade, decidimos matar duas aulas para passear pela capital mais visitada do mundo. Nosso turismo, entretanto, não foi dos mais convencionais...

Percorremos os lugares mais caros e badalados da cidade luz, mas a única compra que fizemos foi... um café. (À 2,60 €). Fomos obrigados. Usamos a bateria da câmera até o último suspiro, e o velhinho dono de um café na frente do Louvre pirangou até o uso da sua tomada. "O senhor vai consumir?" ele perguntou quando Bernardo explicou nosso infortúnio elétrico.

Com um turismo monstruoso que ataca a cidade todos os dias, a prefeitura tem que trabalhar duro para manter a limpeza e garantir a segurança. Flagramos a agilidade das vassouras do futuro e a seriedade dos soldados muito bem armados que patrulham os alvos em potencial da violência.

Flagramos a sujeira mais ágil que a prefeitura. Assim como o ladrão mais ágil que a polícia, que roubou a bolsa de uma senhora entre os pés da torre Eiffel, momentos antes de passar a patrulha. Cecília viu tudo... e escondeu a câmera. Lógico...

No fim de um dia inesquecível, encontramos um velho amigo. Danilo Rocha, jornalista, que estudou francês conosco antes de vir estudar ciências políticas em Dijon, FRANÇA. Agora, ele enfrenta a Paris subterrânea todos os dias, por um mestrado de 1° mundo.

video




Se você gostou desse pequeno clip, provavelmente vai querer a versão completa do vídeo (22 min), onde apresentamos a cidade.
Para baixá-lo, CLIQUE AQUI (download direto) ou AQUI (torrent).

O método torrent é recomendado para conexões lentas, porque se você precisar desligar o computador, quando religá-lo, o download recomeça de onde parou. Entretanto, você vai precisar de um programa capaz de abrir o arquivo torrent, como Bittorrent, por exemplo.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...