Água potável

8 de setembro, segunda-feira à noite, chegamos cansados e satisfeitos na pequena Clermont. Conhecemos a residência onde moraremos e desfizemos as malas. Acetil-colina no sangue, lembramos que passamos o dia inteiro sem ingerir uma gota d'água sequer. Minha boca estava toda rachada e ardia muito; era imprescindível encontrar água! Fomos ao patio e encontramos um casal a quem perguntamos muito naturalmente onde poderíamos comprar uma garrafa d'água. Eles ficaram meio confusos e o rapaz disse que seria difícil, mas talvez tivesse num lugar muito longe. Agradecemos e saímos.
- Onde ser que eles conseguem água potável??
Chegamos a um bar e encontramos uma mulher bastante simpática, lhe fizemos a mesma pergunta e descobrimos que realmente não é nada comum garrafinhas d'água por aqui. Mas continuamos conversando com a sorridente mulher. Explicamos o dia inteiro de viagem sem água, choramingamos o cansaço e a sede, dissemos quem somos e ela finalmente pareceu compreender nosso francês:
- Ah! Vocês querem água pra beber agora? É isso?!
- OUI!
- Ah... me deixem pegar dois copos.
E nos deu dois copos d'água. De graça. Já estávamos maravilhados quando ela disse:
- Vou encher uma garrafa pra vocês.
- Merci beaucoup, madame.
Voltamos pra casa satisfeitíssimos e cheios d'água.
No dia seguinte, vimos a garrafa ficar cada vez mais vazia e nenhum sinal de como conseguiríamos mais do liquido precioso.
- Ei, Pedro!, quando a gente chegou na cidade eu lembro ter visto uma espécie de fonte onde tinha escrito 'água potável' a caminho da residência. Eu só não lembro muito bem onde foi.
- Beleza! Vamo fazer o mesmo percurso.
E lá fomos nós na nossa odisséia atrás de água potável no primeiro mundo. E enfim encontramos a tal fonte na estação rodoviária após meia hora de caminhada. Mas foi ótimo.
- Não vamos gastar dinheiro com isso. Basta vir pra cá a cada dois dias e pronto!
No dia seguinte a mesma odisséia, pois a água não durou tanto; aqui faz frio, mas o ar é muito seco – é preciso beber muita água.
- Poxa, será que todo francês vai na rodoviária pegar água?!

- Temos que criar coragem e perguntar isso a alguém...
...
- Ola Laure, tudo bem? A gente queria saber se tem uma fonte de água potável aqui perto da residência. A gente tem ido até a rodoviária, mas é um pouco longe...
- Ahmm, água potável?... Bom, a água que sai da sua torneira lá no seu quarto é potável.
- Ah tah... Merci.

Rimos disso até hoje. Primeiro mico em solo francês. E tenho a forte impressão de que não sera o único...

12 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Barriga de 5 meses (21 semanas)

Elias e seus desejados 4 anos

Relato de parto II - amor rima com raiva