Elias e seus desejados 4 anos

Você em cada ano da sua vida
Oi, Elias. Eu de novo. Gostei da ideia de uma vez por ano (pelo menos) te escrever. E visto seu interesse pela leitura, imagino que logo você poderá ler sozinho as palavras cheias de amor dessa mãe apaixonada que você tem. 
Paixão ardida mesmo. Pelo menos uma vez por dia olho pra você e suspiro, o peito cheio de ar e amor. Sinto tanto orgulho do ser que você é e tanta curiosidade quanto ao que você ainda vai se tornar. Talvez toda mãe sinta isso, mas ao te ver tenho a impressão bem forte de que o mundo é um lugar melhor com você nele. Você sabe amar tão bem, de maneira tão generosa e sensível. Esther é privilegiada em te ter como irmão. Quem vive com você é presenteado com seu carinho e sua alegria. 
Eu te vi passar por tanta coisa esse ano: nascimento da irmãzinha, ida à escola, primeira mentira contada, muitos questionamentos, muitas quedas, alguns enfrentamentos. Você aprendeu a somar, a correr de um agressor, a dar xau mesmo triste com a partida, a se vestir, tomar banho, preparar a mochila pra escola, recortar na linha, dormir sozinho, abrir cadeado, quicar a bola, fazer xixi em pé sozinho (muito útil essa sua habilidade na minha vida. Obrigada, Luigi!). Você acha que aprendeu a ver hora e a ler rsrs. Seu empenho no momento está em aprender a escrever. Você passa uma boa parte do dia pensando nas palavras, nos seus sons, procurando palavras que começam com a mesma letra, tentando descobrir a primeira letra das palavras. Não quero esquecer seu ceticismo quando eu disse que C era de carro. Você rebateu, insistiu repetindo que era C de Cecília e K de carro. O papo se repetiu por alguns dias até que certo dia você falou C de carro sem nenhuma convicção, achando aquilo muito estranho, mas resignado a aceitar. Uma das suas sacadas mais engraçadas recentemente foi quando Pedro apareceu sem camisa certo dia e você caiu na risada dizendo que ele tava com uma camisa invisível. Ah, como você tá engraçado, divertido, transbordando energia e vontade de aprender. A pergunta do momento é sempre "como é dentro de" + absolutamente tudo o que nos certa (banana, sol, cérebro, pênis, porta, etc ao infinito). Cada dia você procura um desafio diferente. E quando consegue, faz uma cara de super orgulhoso de si e ultimamente tem acrescentado a etapa de virar pra mim e perguntar "Você ficou impressionada?" Claro que fiquei! Eu me derreto! Eu sou sua maior fã! Como não ficar impressionada com a perfeição da natureza que permitiu que um ser do seu tamanho tenha saído de mim? Que seja um pedacinho meu. Um invólucro perfeito de combinação genética minha com o meu marido. É muito milagre pra mim. Procuro razão nas ciências pra entender, me apoio na fé no Deus criador e ainda assim não consigo discernir por completo o que há entre a gente. Eu só sei que eu te amo tanto, com um amor tão perfeito e eu amo ser sua mãe, ter em você meu filho querido, desejado, planejado, companheiro desde o ventre. Meu companheirinho nas manhãs, pra lavar, estender e dobrar roupa, pra passar o aspirador de pó, pra pintar, pra cantar, pra dançar, pra brincar e arrumar os brinquedos. Um menino que se orgulha em "colaborar". Um irmão que corre quando Esther chora dizendo "deixa que eu resolvo" e leva um brinquedo, brinca com ela, troca fralda e se ela não pára me chama dizendo "ela quer mamar". 
O que quero é mais uma vez tirar um retrato por escrito de como você está hoje. Você gosta de comer banana, pêra, brócolis, tomate, arroz, feijão, ovo, farofa, pizza de brigadeiro, pipoca, bolacha doce ("biscoito que é bolacha", como você diz), bolacha salgada, pão com maionese, iogurte, papa de aveia, tapioca, e decidiu que ia comer carne e frango quando completasse 4 anos. Vou cobrar! Seu vocabulário sofreu uma grande mudança recentemente: "ro lôko", "ué!", "massa!", "da hora", "que maluco!", "eu sou forte", "é a festa do" + o que quer que seja, por exemplo "xixi" demonstram o nível de sapequice do moleque. Você gosta de brincar de bola, de frisbee, de quebra-cabeça, de casinha, de pega-pega, esconde-esconde. Também está apaixonado pelos livros, pelo "jogo do carrinho", além dos sempre presentes LEGO e Minecraft.
Mais mudanças, você tá testando sempre o seu poder de decidir. E agora até blusa preferida tem! Uma tal blusa de um menino com um skate, que segundo você seus amigos da escola não gostam, mas que você gosta mesmo assim. Está "cheio de vontades" (e essa expressão pra mim não é nada negativa): quer ir pra faculdade com o papai, dar aula de francês com a mamãe, ir pra casa dos Tekaya, pra lua, pra França, ver neve, quer um skate, um patins, um patinete e todos os carrinhos da loja. Seu gosto pelas regras se transformou em negociação. E ultimamente você tem até "esquecido" de lavar a mão depois de ir no banheiro de tanta pressa pra viver. Ainda no hall de mudanças não tão agradáveis, ouvi meu primeiro "eu não te amo" após ter ouvido um não e vários "não quero mais ser família" quando é contrariado. E eu vou pacientemente (quando dá rs) te mostrando que meu amor por você é cheio de responsabilidade, que te amar não é te agradar sempre. Você nem sempre gosta, mas aos poucos está entendendo. 
Ai, você tá tão ansioso pelo dia de hoje. Quantas vezes você não comeu bem muito e depois disse "pronto, agora tenho 4 anos!". Fico olhando maravilhada sua vontade de crescer, de ficar independente. Você até achou que poderia ir sozinho pra escola quando completasse 4 anos. Calma aê, rapaz! Segura essa onda! Não cresce tão rápido, não. Deixa eu te curtir mais um pouquinho. Os seus abraços, seus ataques de beijinhos, suas palavras de admiração, seus "eu te amo" no meio da madrugada.
Conte sempre comigo, meu amoreco. 

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Barriga de 5 meses (21 semanas)

Relato de parto II - amor rima com raiva