.

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Ultrassonografia - a saga continua

Definitivamente, ultrassonografia vai ser o desafio dessa gravidez. Marcara a última com um mês de antecedência, com hora marcada, no Ultra Mater do Hospital Português, de onde tivera boas referências através de amigas. Eu já estava ansiosa pra saber o sexo e sonhava com isso. Sonhei até com o bebê de perninhas cruzadas, impossibilitando a descoberta. Pois bem, quarta-feira, dia 29, era o dia tanto esperado. 
Saímos de casa e Bernardo resolveu pegar um caminho que nunca pega e com ele, um engarrafamento colossal às 13h30 da tarde. Chegamos com 10 minutos de atraso e nos indicaram o local errado. Havia dois lugares que fazem ultrassonografia. Chegando no lugar certo, descobri que esquecera em casa a solicitação da obstetra. Conversei com a moça, mas nenhum acordo. A solução que encontramos, foi ver se a nossa obstetra estaria lá dia de hoje, pois ela atende no Português também. Ela não estava, mas conversando com a recepcionista, eu tinha a opção de esperar outra obstetra que estava em consulta. Parecia-me uma ótima solução. Esperamos 40 minutos! Mas conseguimos a tal solicitação. 
Uma vez na Ultra Mater, com todos os documentos necessários, o plano de saúde (Unimed) resolveu não autorizar o procedimento. Conversei com a moça por telefone, afirmei que já o tinha feito antes. Segundo ela, da vez em que o plano autorizara, eles cometeram um erro e eu tive sorte. Dessa vez, não podiam, por causa da carência. Percebendo que não conseguiria resolver com aquela pessoa, por telefone, não quis insistir. Perguntei a recepcionista quanto custaria pra fazer particular mesmo. 300! Caro, mas eu estava disposta a pagar o preço que fosse necessário. Pergunto ao marido se ele tem aquela quantia na carteira, mas nada. Pergunto se aceitam cartão. Não! O dia das negativas. Não dava mais tempo de ir ao banco, pois eu daria aula em pouco tempo. 
Difícil dizer o tamanho da minha frustração! Chorei a grandes lágrimas no estacionamento, amparada pelo ombro do marido. Estava decepcionada primeiro comigo mesma, por ter conseguido esquecer a solicitação em casa. Em seguida, com o plano. Depois com o sistema que não aceita cartão de crédito em pleno século XXI. Depois com a ideia de ter que ir dar aula. Uma conspiração para aquela ultrassonografia não ser feita!
Bom, agora passou. O bebê está bem e isso é o mais importante. Não pude vê-lo, mas o sinto mexendo frequentemente. Um tremorzinho gostoso na barriga que não me deixa esquecer da linda vida que carrego. Menino ou menina, esse bebê será muito amado e educado nos caminhos do Senhor. 


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...