Do Amor

Lembro com nostalgia e carinho nosso passado. Nossa história representa pra mim o conto de fadas tão sonhado na adolescência e na infância. Degusto a lembrança do chocolate, da flor, do violão, da literatura e da conversa que me cativaram, me conquistaram, me apaixonaram, me tiraram do eixo. Mas as borboletas partiraram uma a uma carimbando cada carta de amor. A flor do namoro secou, murchou. Coloriu dias que se foram e não voltarão. Enterrou consigo a paixão. Afinal doces lembranças não alimentam o presente nem saciam o paladar. Este precisa de renovo todos os dias.  
Por isso é com igual satisfação que vislumbro nosso futuro e desembrulho nosso presente. É o cuidado cotidiano - a carona pro trabalho, a louça lavada, o jantar à mesa - temperado com carinho, vídeo game, filme, culinária, viagens e conversa que me faz amá-lo perenemente. 
A mesma flor que secou e murchou, fertilizou a terra. Coloriu dias que se foram e não voltarão porque outras cores decoram nossas vidas. Enterrou consigo a paixão para dar espaço a algo de essência duradoura. É por isso que hoje eu posso dizer sobriamente, sem borboletas no estômago:

Eu te amo até que a morte nos separe.

* * *

Parabéns pelos seus 29 anos e para nós e nossos 7 anos. 
6 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3 anos de Elias - meus votos

Barriga de 5 meses (21 semanas)

Meus 29 anos