Oração

Hoje, estamos inaugurando nossa lista de oração, que vai ficar por tempo indeterminado aí ao lado, para os irmãos que quiserem saber nossos motivos de oração mais específicos. Também estamos atentos aos motivos de oração das nossas famílias e amigos.

Quando eu morava em Sorocaba, estava sob o olhar atento de meus pais. Eles oravam bastante por mim.

Hoje, eu não estou mais sob o olhar atento deles, mas eles ainda oram por mim. Além disso, eles ganharam mais um nome para orar, e isso é bom. Eles oram por Cecília também.

Foi ainda sob o olhar deles que eu aprendi a importância da oração. Jether, tendo sido mecânico, explicou uma vez que a oração é como o combustível do crente, que carro nenhum anda sem gasolina, etc. Foi sob o olhar deles que eu chorei o pecado certo e a fé frouxa da adolescência, depois da juventude. Foi sob esse olhar que eu me ajoelhei admitindo que estava perdido, que era tudo orgulho, que eu ia orar.

Eu orei, mas não o bastante. O rumo certo custou a chegar. Quando chegou, no deserto inóspito, no abandono, eu me virei para dentro de mim mesmo e gritei que meu coração é de Deus. Fez eco.

Depois, me voltei para os outros e sussurrei que meu coração é de Deus de novo. Não fez eco, mas todo mundo estava escutando. Então, me voltei para Cecília e prometi, on-line, que iria orar por ela todos os dias dali em diante. Essa era a ordem matrimonial de Deus. "Ore por ela".

Hoje, nós oramos pelo menos 3 vezes ao dia. Lembramos de muita gente. Cada oração é uma pedra na construção de um castelo. Acabamos de começar. Vai levar anos, décadas, mas será um castelo sólido, cuja matéria prima é vinda das mãos de Deus, em cada resposta de oração. São as mesmas mãos de artista oleiro, que faz com carinho seres humanos de barro, frágeis, quebradiços. Mas nada impede que vasos de argila morem em castelos de pedra.
7 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Barriga de 5 meses (21 semanas)

Elias e seus desejados 4 anos

Relato de parto II - amor rima com raiva