.

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Cozinha

De Camembert Pané


Culinária faz parte da cultura. É quase tão importante quanto a língua. Hoje, sexta-feira de folga, estivemos com Christiane a tarde toda, e a comida roubou a cena com maestria. Não que nós sejamos exímios cozinheiros; alguns pratos franceses são bem simples, embora deliciosos. Além disso, nenhum francês se interessa a esconder seus costumes. Eles colocam todas as receitas tradicionalmente francesas na Internet. Ontem, no nosso aniversário de 2 meses de casamento, nós ganhamos uma garrafa de Cabernet-Sauvignon de nosso amigo Wang e de sua namorada Qin, e fizemos o recém aprendido Camembert Pané para jantar. Hoje, foi a mesma receita, e ficou ainda melhor. Estamos ganhando experiência!

Para acompanhar, fizemos batatas sautées. Christiane se ocupou da salada. A mesa ficou assim:

De Camembert Pané


E como sobremesa, um prato bem brasileiro (eu acho): rabanada!

De Camembert Pané


O café no final foi mais prático, porque nossos amigos chineses nos emprestaram essa cafeteira:

De Camembert Pané

De Camembert Pané


Enquanto cozinhamos, sempre trocamos umas palavras das nossas línguas nativas.



Até que ela tem um bom sotaque, não?

De Camembert Pané


Aqui estão mais algumas fotos da nossa mesa (na verdade, não temos mesa ainda).

De Camembert Pané

De Camembert Pané

De Camembert Pané

Essa é pra Valéria! Olha só, eu tô comendo alface!

Bom. Para quem quiser ver o álbum completo, rendez-vous na nossa Galeria Picasa.

domingo, 26 de outubro de 2008

sábado, 25 de outubro de 2008

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Christiane

Pessoal, essa é Christiane, nossa amiga alemã:



E essa é a vista que temos da Boulevard Côte Blatin:



Agora, o que uma coisa tem a ver com a outra, não tenho a menor idéia.

Água no Sertão

A plantinha que Auricéia deu ganhou nova dona, muita água e nova vida.

Veja o antes-e-depois:



É uma bênção!!!

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Comida chinesa na França

Hoje, meu dia foi bem interessante. Nós não temos aula na terça, por isso eu fui dormir um pouco tarde ontem, estudando uma maneira prática de editar os vídeos que fazemos nas aulas. Obviamente, acordei tarde. Enquanto comia uma massa com molho de lentilhas deliciosa que Cecília tinha feito, eu desenhava o anúncio novo do nosso curso de inglês.

Ficou massa, hein?!

Depois, saí perambulando pela cidade espalhando o anúncio. Já estou com dois alunos e duas aulas demonstrativas marcadas. Em geral, as aulas demonstrativas fecham bons negócios. Entretanto, minha agenda continua com lacunas demais, e isso não é rentável. Por isso, continuo investindo em publicidade.

Choveu, fez frio, e eu cheguei com fome em uma casa sem mulher. Foi aí que meus amigos chineses completaram o dia. Quando eu pisei no andar, senti o cheiro da comida e o som já familiar do Mandarim vindos da cozinha. Antes mesmo de entrar no quarto, fui até lá pra cumprimentá-los.

No primeiro minuto de conversa, Wang me perguntou se eu já tinha comido. Depois de um "não" sincero e antes de maiores explicações, Qin me ofereceu um prato que me pareceu bastante familiar: arroz e uma panqueca. A panqueca tinha cenoura, para a alegria de Valéria. Fiz questão de comer com os palitinhos.

Agora, estou saindo para buscar Cecília, que está trabalhando.

Abraço na galera!

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Nossos amigos chineses

Aqui vão as primeiras imagens dos nossos amigos chineses da Residência Philippe-Lebon.

Eles cozinham muito bem! O cardápio é de dar inveja. Entre os sabores que timidamente provamos, o mais interessante foi um frango com canela frita que provamos hoje. Genial!



Pedimos desculpas pelos dois dias que passamos off-line. A rede do prédio caiu na sexta feita, e o knock-out deve ter sido brabo, porque ela não se levantou mais. Só agora é que estamos de volta.

Abraços pra galera!!!

domingo, 12 de outubro de 2008

Tutorial: como colocar albuns gigantes on line de uma só vez

Depois que deixamos a pré-história da fotografia (a época das fotos de papel), fotografar se tornou uma atividade muito, mas muito barata mesmo. Até o custo da máquina caiu para quase zero (celulares de um real da Claro, por exemplo). Isso significa que só não fotografa quem não quer.

Esse novo cenário no campo da fotografia fica ainda mais impressionante quando acrescentamos o fenômeno da Internet, ingrediente mais versátil que sal; está em todas as receitas de mundo do futuro. E dá mais sabor a tudo.

Mais saboroso do que tirar 400 fotos num mesmo passeio ao parque é ter todas essas fotos on-line, para que qualquer um (incluindo você mesmo) possa ver, em qualquer lugar do mundo. Mundo que, aliás, é do tamanho de um ovo, e se mede em gigabites.

Se você não embarcou nessa ainda, aqui vai um tutorial sobre como administrar suas milhões de fotos de maneira inteligente. A primeira palavra que você não pode esquecer é "Picasa", o mago das fotos, da Google Maravilhas do Futuro SA.

Nenhuma ferramenta é mais poderosa para administrar suas fotos no contexto internético atual.

Para baixar o programa, se você usa Linux Ubuntu, basta lançar a seguinte linha de comando num terminal:

# wget http://dl.google.com/linux/deb/pool/non-free/p/picasa/picasa_2.2.2820-5_i386.deb

E depois, para instalar:

# sudo dpkg -i picasa_2.2.2820-5_i386.deb

Se você ainda é prisioneiro do Rwindows, baixe o programa clicando aqui, e instale.

Como usar, é fácil. Uma vez que você lança o programa, ele começa a vasculhar seu HD em busca de imagens. Ele vai achar todas as suas fotos, entre outras coisas. Quando ele terminar, tudo estará mais ou menos organizado.

À direita, você visualiza todas as fotos em ordem cronológica. Naturalmente, a cronologia depende de idade registrada do arquivo. Se houver uma modificação na foto, é a data da modificação que prevalece, enganando o sistema. Mas isso não atrapalha muito a visualização.

À esquerda, você tem "Albuns" encima e "Pastas" logo abaixo. Navegue um pouco pelas suas fotos e pastas para se acostumar aos movimentos do programa. Comece a pensar no que você gostaria que estivesse on-line, para seus amigos verem.

Se todas as fotos que você quiser publicar estiverem numa mesma pasta, clique com o botão direito na pasta, e escolha a opção "Upload to Web Album". Se o programa estiver em português, deverá ser algo parecido. De qualquer forma, será a penúltima opção.

Se não, você pode criar um álbum clicando no ícone com um caderninho ao lado de um sinal +, à esquerda, acima de "Álbuns", e colocar fotos de várias pastas diferentes dentro dele, arrastando com o mouse. Depois de montar seu álbum, coloque ele "no ar"; clique nele com o botão direito e escolha "Upload to Web Album". É o mesmo processo que você faria com uma pasta.

Então, você verá uma janela para entrar com nome de usuário e senha. Se você tiver uma conta Google, como Gmail ou Orkut, pode usar. Se não, está na hora de criar uma. Clique em "Signe up for Web Albuns", embaixo de "Esqueci minha senha".

Crie sua conta, e volte para o Picasa. Uma vez logado, a opção "Upload to Web Album" abre uma janela com as opções do álbum que você está para criar. Embaixo de "Album Title", escreva o nome do álbum. Em "Upload Setting" (Opções de Up load), escolha a opção mais lenta (maior tamanho), se quiser que seu Web Album funcione como um backup das suas fotos. Isto é, se quiser manter suas fotos num lugar seguro, além do seu HD, para evitar perdas. Isso não torna a navegação dos seus amigos pelo seu álbum mais lenta, porque eles só verão em tamanho grande as fotos que escolherem ampliar. Entretanto, se sua conexão não for das melhores, escolha uma opção mais rápida.

Em "visibility", deixe "public", para que a gente possa ver também. :p

Ter fotos on line não públicas, cujo acesso é limitado pelo dono das fotos, é interessante para gente que não gosta da idéia de ter uma vida muito pública.

Então, clique em "OK", e espere as fotos subirem ao público, uma a uma.

Uma vez terminado o up load, abra um navegador, e digite:

picasaweb.google.com

Se você já estiver logado, vai ver a capa do álbum que acabou de publicar. Clique nele para ver as fotos. Se não estiver logado, nome de usuário e senha, e voilà !

Para mostrar seus álbuns aos seus amigos, passe o endereço:

picasaweb.google.com/seu_nome_de_usuario

Por e-mail, ou no seu blog, ou pelo telefone mesmo. :)

Com esse tutorial, espero que tia Nana, Auricéia, Cássia, Valéria, Tia Selmy, Vovó Selma, entre outras pessoas de quem sentimos saudades, possam colocar suas fotos disponíveis pra gente aqui da Europa, como a gente faz, ou seja, o bolo todo! Todas as fotos! De uma vez! :D

Se você tiver problemas, não se acanhe: poste uma pergunta, que a gente responde.

Abraços calorosos e até a próxima.

sábado, 11 de outubro de 2008

- Hablas espangol, RonalDÔ ? ?

- Não abro nem fecho, cara pálida!

Caros brasileiros, é com pesar e mesmo indignação que venho informar-lhes que nosso amado país tropical bonito por natureza não representa nada para o mundo. Tive a oportunidade de constatar isso aqui na França e imagino que o quadro não é muito diferente nos outros países.

Os franceses conhecem bem o futebol do craque RonalDÔ, as pernas compridas de Gisele Bundchen e o colorido carnaval do RiÔ. O que eles ignoram é que a língua materna das estrelas citadas é o português e que o Rio não é a capital do Brasil.

Essa ignorância custou muito caro a Pedro e a mim. Informados que um certo órgão de Clermont-Ferrand recrutava estudantes estrangeiros para dar aulas nas escolas, caminhamos 40 minutos para nos candidatarmos. Chegando lá, na recepção nos passaram o telefone da pessoa responsável. Telefonamos e fomos encaminhados a um segundo lugar. Andamos mais. Chegamos. Nos apresentamos como brasileiros, estudante de letras, etc, etc... A moça, satisfeita, nos deu um formulário para preenchermos.

- Tem bastante oferta para professor de português nas escolas?
- Português?! Não há nenhuma oferta para português. Nó procuramos professores de espanhol.
- Nó somos brasileiros, senhora. No Brasil não se fala espanhol! Nossa língua materna é o português!
- Bãn... Sinto muito.

Mais de 180 milhões de pessoas falando uma língua e o mundo ignora esse fato! Voltamos pra casa nesse dia, não frustrados pelo emprego não obtido, mas indignados. Ser brasileiro não significa nada nessa terra. A manga por 0,50 €/unidade, o suco de laranja « com laranja brasileira » e o camarão gigante vêem do Brasil. Mas « que país é esse »?

Nossa nacionalidade não nos favorece muito, mas continuamos nossa escalade nesse primeiro mundo que não sabe quem somos, mas nos dará um diploma mais eloquente.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Chip francês!!

Pois é, pessoal... Um mês na frança, já estamos bem alojados e vimos como funciona o sistema aqui. Já fizemos a vistoria no perímetro e a área está limpa. Território muito bem habitável. Quase a cada dia deixamos nossa vidinha aqui ainda mais fácil ou colorida. Panelas, abridor de latas, potes de plástico, lixeirinho e, por que não?, um saca-rolhas. Mais roupas de frio. E mesmo nosso companheiro fiel de estudo e contato com o planeta natal: escalade. (Quem advinha por que demos esse nome ao nosso computador?)

Acabamos de fazer nossa mais nova aquisição: un forfait! Ou simplesmente um chip francês pro nosso celular brasileiro, que é pra ele subir de vida. Pra quem possa interessar e precisar , aí vai o número:

06.46.49.38.24

Mas vale lembrar que é sempre ligeiramente mais barato usar o skype. Tia Nana pode testemunhar a favor. Olha lá hein, mãe...

Explicações vulcanológicas

Para os estudantes de francês, aí está mais um desafio. Transcrevam e traduzam as explicações do senhor vulcanólogo.



Boa sorte!

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Aqui estão as fotos do passeio à Vulcania, o parque temático milionário que levou 4 anos para ser construído só para nos dizer que nós estamos sentados num vulcão enorme que pode explodir a qulaquer momento. Mas não se preocupem; a gente só pagou 5 € cada...

http://picasaweb.google.com/bernardodesousa/Vulcania
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...